Se você já botou a mão na massa e conduziu uma estratégia de tráfego orgânico, seja de conteúdo, site ou e-commerce, sabe a dificuldade que é ranquear bem para palavras-chave com alto volume de busca.

Não consigo pensar em uma analogia mais próxima do que a corrida do queijo inglesa. É um monte de gente correndo atrás de um só objetivo: estar na primeira página, na posição mais alta possível.

E é claro que a maioria não consegue. Afinal, são milhares (geralmente milhões!) de resultados para encaixar em dez posições. Assim como são dezenas de pessoas para um só queijo.

Ranquear bem é importante porque menos de 1% dos usuários clica em resultados da segunda página. E só estar na primeira página também não garante nada, já que o primeiro resultado tem 10x mais chances de ser clicado do que o décimo¹.

Com uma competitividade tão grande para essas palavras-chave, uma das formas mais eficientes de construir a autoridade do site e aparecer para mais usuários é apostar em termos com menor volume de busca.

Essas são as chamadas palavras-chave Long Tail. E elas têm muito mais vantagens do que só uma concorrência menos acirrada! Nesse post, vou explicar para você:

Onde surgiu o conceito da “cauda longa”?
O que são palavras-chave Long Tail?

Como usar as palavras-chave Long Tail no marketing digital?

Conclusão

Onde surgiu o conceito da “cauda longa”?

Muita gente pensa que o conceito de Long Tail surgiu no livro de Chris Anderson, A Cauda Longa, publicado em 2006. A obra ficou tão famosa que criaram até mesmo versões alternativas, como A Cauda Longa em Quadrinhos, que eu adoro!

Mas, a verdade é que ele já matutava a ideia há bem mais tempo. A prova está neste artigo da revista Wired, que saiu dois anos antes e já estampava o termo no título.

Anderson usa a metáfora da cauda longa para explicar a relação entre:

  • produtos de sucesso, que são conhecidos mais amplamente e atraem uma grande audiência sozinhos;
  • produtos de nicho, que são menos populares individualmente mas representam diversos públicos de mercados específicos juntos.

Segundo o autor, o “espaço de prateleira” infinito da internet dá a liberdade de ofertar uma grande variedade de produtos em lojas virtuais.

Agora, entram no catálogo até mesmo aqueles itens que não são tão populares por si só a ponto de garantir um espaço no estoque de uma loja física (o que tem vários custos de logística envolvidos).

Por isso, ter um mix variado de produtos, contando até mesmo com aqueles que não são tão procurados, passou a valer a pena na internet.

Afinal, é mais negócio vender uma unidade de 10.000 produtos “obscuros” diferentes do que 1.000 unidades de um produto de sucesso só.

Chris Anderson usa a ideia para falar de entretenimento na internet, mas as possibilidades de aplicação em outros mercados surgiram e se espalharam rapidinho, inclusive no marketing digital.

O que são palavras-chave Long Tail?

Agora, pegue a ideia da cauda longa e imagine que os produtos são as suas palavras-chave e as vendas são o volume de busca. É assim que o conceito se aplica ao marketing digital e ao SEO!

Por exemplo, se um usuário digita a palavra “podcast” no campo de busca, não fica claro o que ele está procurando.

Ele pode querer o conceito de podcast, indicações de programas, opções de aplicativos para ouvir no celular, ou mesmo dicas sobre como criar o seu próprio conteúdo em áudio.

Isso é uma palavra-chave Head Tail, que:

  • tem um significado amplo, com pouco ou nenhum contexto;
  • traz uma grande quantidade de resultados, já que abrange diversos tópicos, tanto mais gerais quanto mais específicos;
  • e possui alto volume de busca, já que engloba as diferentes intenções de muitas pessoas.

O termo “podcast”, por exemplo, tem 165.000 buscas mensais e quase 900 milhões de resultados.

As palavras-chave Long Tail são muito mais diversificadas, com inúmeras variações nos termos. Ao mesmo tempo, são mais específicas, pois o usuário consegue “explicar” melhor pelo que está procurando.

Por isso, elas possuem volume de busca mais baixo, já que não misturam usuários com intenções de busca diferentes.

Além disso, se estamos falando de estratégias de links patrocinados, outra característica marcante dos termos Long Tail é um valor de CPC mais baixo. Mas pode deixar isso eu explico mais para a frente!

Nosso amigo fã de podcasts, por exemplo, poderia usar termos específicos de acordo com o que estivesse procurando: “o que é podcast”, “melhores podcasts”, “como ouvir podcast” ou “como fazer um podcast”.

Palavra-chave Volume de busca Resultados de busca
podcast 165 mil 897 milhões
o que é podcast 33,1 mil 136 milhões
melhores podcasts 4,4 mil 28,4 milhões
como fazer um podcast 2,9 mil 98,2 milhões
como ouvir podcast 1 mil 17,7 milhões

As palavras-chave Long Tail ainda têm uma grande vantagem nas estratégias de tráfego orgânico: uma ótima relação entre esforço e resultado.

Geralmente, a competição por termos com volume de busca pequeno é menor, o que pode ajudar a colher os frutos do seu trabalho mais rápido.

Qual o número de palavras ideal?

Uma dica: cuidado com classificações muito generalistas sobre o comprimento de palavras-chave Long Tail.

Não é o número de palavras que define a natureza da pesquisa, e sim a especificidade dos termos.

Por exemplo: compare as palavras-chave câmera instantânea e instax mini. As duas possuem apenas duas palavras.

A diferença é que a primeira traz apenas o conhecimento do tipo de produto: ou seja, pode ser que o usuário esteja procurando por mais informações para recém considerar a compra.

A segunda já aponta um modelo específico, o que dá a entender que o usuário já conhece as diferentes variações do produto e, portanto, tem uma maior intenção de compra.

Como identificar essas palavras-chave?

Para começar a identificar termos Long Tail que podem ser benéficos para a sua estratégia de marketing digital, o primeiro passo é fazer uma pesquisa de palavras-chave.

Todas as informações que você precisa sobre essa etapa está no post que linkei acima, mas aproveito para deixar algumas dicas de ferramentas que são minhas preferidas:

Tem opções pagas e gratuitas, com vários recursos diferentes. Vale testar cada uma pra ver qual se encaixa melhor com o seu modo de trabalhar 🙂

Como usar as palavras-chave Long Tail no marketing digital?

Uma das coisas que eu mais gosto sobre as palavras-chave é que elas permeiam todo o marketing digital.

Ou seja, com uma pesquisa bem feita sobre seus públicos e os termos que melhor se encaixam com o que eles estão procurando, fica bem mais fácil traçar um planejamento assertivo e coeso.

Para ajudar você a entender onde aplicar tudo isso, eu trouxe alguns exemplos e dicas para vários âmbitos da estratégia de marketing digital.

Marketing de Conteúdo

Uma das maneiras mais eficientes de ranquear no Google é com conteúdo para blog, especialmente quando falamos de palavras-chave Long Tail.

Como a estratégia de marketing de conteúdo geralmente precisa de mais tempo para começar a mostrar resultados, usar termos menos concorridos pode ajudar a alavancar seu ranqueamento com agilidade e trazer mais visitas e autoridade para o site como um todo.

Por exemplo, fica muito mais fácil aparecer na “posição zero” do Google para uma palavra-chave com menor volume de busca. Ficar em destaque na página de resultados de busca aumenta (e muito!) a visibilidade e a taxa de cliques (CTR) do seu post.

As palavras-chave Long Tail também são ótimas para construir estratégias de Topic Clusters. São as páginas otimizadas para elas que garantem a distribuição de autoridade para o seu conteúdo pilar 🙂

Outro ponto super importante: nunca deixe de priorizar a qualidade do conteúdo e, principalmente, o sentido do texto.

Muitas vezes, as palavras-chave Long Tail são mais um emaranhado de termos do que uma estrutura em si, o que as torna impossíveis de encaixar em uma frase.

Vou dar um exemplo de um post que escrevi para o Blog da Mateada há pouco tempo, sobre Meta Tags para SEO. A palavra-chave com maior volume de busca era “meta tags seo”, mas fica difícil compor um título ou uma frase com essa exata ordem de palavras, né?

Por isso, o conselho é o seguinte: pode escrever da maneira que faz mais sentido e confiar no Google. Geralmente, ele entende o contexto que permeia a escolha de palavras e mostra o que melhor se adequar em termos de conteúdo.

Quer ter certeza? Abra a guia anônima do navegador, jogue o termo na caixa de pesquisa e dê uma olhada nos resultados. Se a palavra-chave não está integralmente em nenhum dos títulos, você tem certeza que não será prejudicado por não incluir também. 🙂

SEO para E-commerce

Cada vez mais gente está vendendo na internet. Se o e-commerce é a sua praia, você provavelmente já sabe disso.

Portanto, cresce também a necessidade de se destacar entre uma infinidade de concorrentes e aparecer aos olhos do público que precisa exatamente do que você tem a oferecer.

É por isso que uma das principais vantagens de investir em palavras-chave Long Tail no e-commerce é o aumento da taxa de conversão.

Ao procurar por um produto de maneira mais específica, o usuário mostra que já está mais avançado no funil e, se não sabe exatamente o produto que está procurando, tem pelo menos uma noção das características das quais não abre mão.

E aí, se o cliente já está pronto para comprar, achou seu site e você oferece uma boa experiência, é só correr pro abraço!

Além disso, fazer bom uso das palavras-chave Long Tail também ajuda no pós-venda, já que tende a diminuir o número de pedidos cancelados e produtos devolvidos.

Afinal, se o cliente que você atrai já pesquisou sobre o produto, conhece suas principais características e usou essas informações para avaliar a necessidade da compra, é menos provável que finalize o pedido por impulso ou se decepcione com o produto no momento da entrega, não é mesmo?

Lembre também que o planejamento de e-commerce é uma das etapas mais importantes para estabelecer um negócio digital. Por isso, pensar nos termos Long Tail deve ser um exercício presente desde o começo da estratégia.

A pesquisa de palavras-chave deve guiar o processo de estruturar a arquitetura do site, além de uma profunda análise da concorrência.

Procure por lojas que sigam a mesma linha da sua e perceba qual o sistema de organização de produtos que prevalece e é mais vantajoso para o seu negócio.

Links Patrocinados

E não é só no orgânico que a cauda longa do marketing digital se destaca: investir em palavras-chave Long Tail para estratégias de Google Ads também pode trazer ótimos resultados.

Aqui, temos duas principais vantagens. Uma delas é o custo-benefício, já que, com um menor volume de busca, temos menos impressões e menos cliques, o que acaba por reduzir os gastos da campanha.

Além disso, você ainda economiza no preço do CPC, que também tende a diminuir com o volume de busca.

Se quero anunciar o site da minha floricultura para o termo “flores”, o valor do CPC vai lá em cima e fica em torno de R$ 2,25: afinal, são 550 mil buscas mensais, o que representa um grande público para o qual o meu anúncio estará aparecendo.

O problema é que, além de gastar muito, eu não sei se o usuário está procurando pelos arranjos que tenho para vender.

Ele pode estar atrás de conhecer os diferentes tipos de flores, dicas de como cuidar das suas próprias, desenhos para tatuagens ou mesmo só imagens e fotos para usar de papel de parede do celular. Ou seja, é uma palavra-chave Head Tail!

Agora, se o termo é “buquê de rosas vermelhas”, o volume é mais baixo (8.100) e o CPC também (R$ 0,84). E essa é uma palavra-chave Long Tail, certo?

Afinal, entendemos que o usuário está procurando por um buquê e já sabe, inclusive, o tipo de flor e a cor que quer!

Por isso, a outra vantagem de usar termos Long Tail na estratégia de Google Ads é que sobem os índices de CTR e taxa de conversão, porque o cliente possui intenção de busca mais clara e também está mais maduro no processo de compra.

Ou seja, você aparece para um público mais qualificado, que tem mais chances de converter do que quem ainda está nos estágios iniciais da jornada do cliente!

Lembrando que os valores que consultamos em ferramentas como o SEMrush e o Google Keyword Planner são apenas para referência, já que os preços reais sofrem algumas variações devido a horário, região, Índice de Qualidade, dispositivo, entre outros fatores. 🙂

Conclusão

Deu para entender que existem muito mais oportunidades de aparecer para públicos nichados do que a gente pensa, né?

Vale lembrar que um planejamento bem construído leva todos esses fatores que falamos aqui em consideração, usando termos Head Tail e Long Tail em harmonia para equilibrar a estratégia de palavras-chave que permeia vários aspectos do marketing digital.

Isso é importante para que você consiga utilizar todo o potencial do seu site para construir a autoridade dele ao longo do tempo.

Assim, fica bem mais fácil atingir a primeira posição e pegar o tão sonhado queijo – igual a esse cara aí, que já ganhou a corrida mais de 20 vezes e, por pura coincidência, também se chama Chris Anderson. 🙂

Chris Anderson Campeão
Chris Anderson – Fonte: The Independent

¹ Backlinko: Google CTR Stats (2019).

Escreva um comentário

Pin It