Um dos grandes problemas encontrados na hora de pensar um planejamento de marketing digital de um negócio (especialmente quando se trata de uma empresa nova na web) é, justamente, saber por onde começar e no que investir para divulgar seu site na Internet. Existem muitos recursos e meios de alcançar uma divulgação efetiva no âmbito digital e para guiar seus passos de forma mais assertiva neste estágio inicial, aí vão alguns deles:

1. SEO

O Search Engine Optimization (SEO) é a otimização feita no site para que os mecanismos de buscas consigam encontrá-lo e, assim, ofertar seus produtos e serviços para os usuários. O SEO consiste, basicamente, em inúmeras técnicas aplicadas no site para fazer com que ele apareça no topo dos resultados de pesquisa orgânica das ferramentas de busca, como Google, Bing e Yahoo!. Isso quer dizer que, por meio dessa prática, seu site consegue ser acessado de forma natural pelos usuários, sem que se tenha a necessidade de investimento em anúncios.

Para alcançar esse melhor ranqueamento orgânico no buscadores é necessário, primeiramente, ter claros quais são os objetivos do seu negócio. Se é um e-commerce, por exemplo, o objetivo seriam as vendas dos produtos e, para tal, a estratégia deve fazer com que páginas específicas de produtos apareçam quando os usuários pesquisarem.

Da mesma forma que uma prestadora de serviços pode ter como objetivo fazer um determinado número de orçamentos por mês (e essa ser sua fonte de conversão). Então, ela deve basear seu planejamento por essa linha.

Dicas de ferramentas para ver como seu site está posicionado no Google e demais buscadores:

2. REDES SOCIAIS

Mais que criar um site com visual atraente e de navegação intuitiva, é necessário criar uma relação real com seus clientes e, por outro lado, iniciar relações a fim de se tornarem futuros clientes do negócio. Por esse motivo, ter páginas em determinadas redes sociais podem fazer toda a diferença para sua empresa. Mas, mais importante que estar presente nas mídias sociais, é necessário compreender em quais delas seus público-alvo se encontra e, só então, apostar forte no vínculo por meio delas.

Outro ponto que deve ficar bem claro para você é as redes sociais devem ter um objetivo claro no seu plano estratégico, por exemplo:

  • se é engajar: o objetivo é gerar o que chamamos de evangelizadores da marca;
  • se é aumentar o reconhecimento de marca: se trata de gerar autoridade no mercado e ampliar número de seguidores etc.

Esses parâmetros vão definir o tipo de conteúdo que será divulgado em suas redes, bem como o formato que ele deve ser apresentado.

Gerenciar redes sociais e manter a frequência de publicações pode ser complicado, isso porque cada tipo de mídia pede um tipo de formato, sendo enviada em um determinado horário (de maior visitação) e com certo tipo de linguagem específica. Para a sorte de muitos, a tecnologia ajuda muito nessas horas…

Dicas de ferramentas para fazer postagens programadas em redes sociais:

3. E-MAIL

Embora pareça pouco efetivo, o e-mail marketing (ou mala-direta) ainda é uma das formas mais poderosas de comunicação com o seu potencial cliente – se tratando de estratégia de comunicação. Isso porque, quando usado de forma correta, estabelece um grau de relacionamento ainda maior que os das redes sociais, afinal você está se relacionando diretamente com o usuário, de igual para igual.

Algumas formas de estabelecer esse elo de contato frequente e próximo com seus leads e clientes, via e-mail, são:

  • newsletter: os boletins informativos são uma forma de divulgar os conteúdos produzidos pela empresa de um forma que chegue diretamente ao interessado. Se ele não viu nas outras redes, bom, agora está na caixa de entrada dele! Mas, por favor, considere um espaço de envio razoável, entre um e-mail e outro – e nada de spam (contenha-se)! 😀
  • e-mail marketing: é uma forma bem prática de mostrar aos seus leads e clientes as novas promoções, os produtos/serviços bacanas que trabalha e até disseminar alguns vouchers de descontos para aumentar as vendas. Lembre-se: não esqueça das call-to actions (CTAs) para que a conversão seja possível.
  • fluxo de nutrição: são ideais para quem quer tornar visitantes em leads e, esses lead em clientes. Ou seja, captar os dados de usuários interessados no seu segmento para, por meio de uma série de e-mails, nutrir/educar eles a respeito da importância, valor e benefícios dos seu produto para solucionar os problemas que eles tenham – fazendo assim, a conversão.
  • relacionamento: é manter um diálogo direto com seu cliente. Informando novas formas de atuação do negócio, pedindo feedbacks, analisando a interação dele com os seus envios (se marcou como spam, se não abre mais, se abre e não clica nos links etc) e, assim, conversar com ele. Questionando o que faria ele mais feliz com sua marca ou simplesmente fazendo um pós-venda. Relacionamento é fundamental para fidelizar um cliente e aproximar novos.
  • e-mails transacionais: são bem fáceis de colocar em prática e fazem toda a diferença ao término da conversão. Por isso, se você tem um e-commerce, não esqueça de automatizar essa parte. Afinal, estamos tão habituados a receber e-mails ao fim de uma transição, que se esse recebimento não ocorrer, vai ficar no ar aquelas dúvidas: “será que eu finalizei?”; “será que esse site não está com problemas?”; será que essa marca é confiável mesmo?”.

Dicas de ferramentas para enviar e-mails marketing e de nutrição de fluxos:

4. BLOG

Mais que apenas uma das técnica para ajudar o posicionamento orgânico nos sites de busca (SEO), o blog é um meio a mais de mostrar ao seu público-alvo todas as formas que sua empresa tem para ajudá-lo. Isso mesmo, ali é o ambiente para dizer tudo aquilo que você queria colocar no post das redes sociais, mas de forma mais completa. O blog é um canal para levar o máximo de conhecimento possível sobre as tendências, temáticas e dúvidas tanto do seu setor como dos seus produtos, tornando-se, aos poucos, autoridade e referência na área para o consumidor.

Os conteúdos não devem ser promocionais ou mesmo não cumprir o que a chamada dele se propõem a entregar. Além de fazer o público compreender que sua empresa, de fato, entende do que está falando, os usuários passam a acompanhar e usar esses conteúdos como gatilhos para interagir em outras redes e atestar a confiabilidade do negócio e dos produtos que ele oferta.

Quanto mais completo for seu conteúdo, tanto em escrita como em diversidade de formatos (vídeos, mapas, infográficos, imagens, galerias, áudios etc), mais chances você tem de posicionar melhor seu site nos buscadores e, assim, de ser encontrado mais facilmente pelos usuários que procuram pelos assuntos que sua empresa aborda.

Conteúdo bom é aquele que chega até o usuário quando ele estiver procurando! Por isso, cada vez mais, ter um blog é uma excelente forma de divulgar sua empresa. Tente sempre atrelar ele ao site da empresa, para facilitar todo o processo do leitor.

Dicas de plataformas para começar o blog agora mesmo:

5. LINKS EXTERNOS

Uma das formas de fazer seus conteúdos ou páginas específicas do seu site posicionarem melhor nos resultados de busca é fazer Link Building, isso porque o Google considera os links como fator de popularidade de um site. Basicamente, é a técnica uma misto de trabalho de assessoria com o foco em obter links em outros canais.

Existe, obviamente, uma metodologia para conseguir os melhores canais e a construção de conteúdos focados em determinadas plataformas. Mas, de forma sucinta, a ideia é conseguir que determinada página do seu site seja citado em conteúdos de outros canais.

Além de ser uma excelente forma de auxiliar no posicionamento natural do seu site nos resultados de pesquisa do Google, esses links externos ainda fazem sua marca ser reconhecida por outros públicos, seguidores daqueles sites em que você conseguiu se inserir. Ou seja, trata-se de uma forma de criar parceria. Isso, claro, é uma via de mão dupla, assim como você pode fazer, também pode receber contatos de Link Building.

6. LINKS INTERNOS

Parece meio clichê, mas muitas marcas esquecem disso. Divulgar seu negócio, seus conteúdos e seus produtos dentro do seu próprio blog também é essencial! Quem nunca entrou em algum conteúdo (principalmente aqueles em listas cômicas com gifs), viu outras listas parecidas e abriu, pelo menos, outras duas abas com posts semelhantes?

Isso mostra que usar links internos ajuda, entre outras estratégias de SEO, a levar seu leitor a consumir outras postagens suas e, até, descobrir mais rapidamente seus produtos ou serviços.

Mas, cuidado: não confunda seu blog com um canal de vendas! Ele é um canal para entregar conteúdo de qualidade e, por meio disso, reforçar a marca para o consumidor. Cite links de produtos, serviços e mesmo outros conteúdos quando realmente forem ajudar o consumidor, quando a citação acontecer de forma natural.

Não tente empurrá-los a todo momento e a qualquer custo. Esse tipo de abordagem, além de não dar certo, pode ter o efeito contrário: afastar seu consumidor potencial.

7. LINKS PATROCINADOS

Os links patrocinados ocupam uma posição estratégica nos resultados de busca, eles são ótimos para ajudar a chegar nos usuários enquanto eles estão em busca de algo específico. Essa publicidade online funciona muito bem, ainda mais quando se espera um resultado de conversão mais rápido. Afinal, ele entrega para o visitante um solução para o que ele procura, com base na palavra-chave que ele digita e no momento em que ele precisa.

Claro, aqui estamos nos referindo à elevar o número de conversões investindo nos resultados do Google e demais buscadores, mas existem ainda outros tipos de campanhas, cada uma mais apropriada para cada segmento do mercado.

Aliás, recentemente lançamos o e-Book Anunciar no Google é um modo fácil de aumentar suas vendas!, que explica, não somente cada modelo de campanha disponível no Adwords, como o que essa estratégia pode representar para sua empresa e todo o funcionamento do sistema na prática.

Baixar e-Book

8. INTERAÇÃO EM FÓRUNS E COMENTÁRIOS

Por último, mas não menos importante, as interações em comentários de outros canais e respostas para usuários em fóruns, faz de você (como representante da marca) e de seu negócio referências no segmento. Isso porque, quando há assiduidade, os visitantes vão começar procurar sua empresa, além de lembrar dela com maior frequência. Afinal, você sempre tem as respostas para os questionamentos dele; você sabe do que fala. Tornar-se um especialista é obter uma divulgação verdadeira e com muita credibilidade na web.

Dicas anotadas, ferramentas selecionadas e estratégia de marketing digital em planejamento? Então, conta para a gente (somos curiosos, vai!), quais outras formas você usa para divulgar o seu site na Internet?